História / Background

IMG_6335-001

Era o começo de 2005 e estávamos à procura de um pedaço de terra. Meu marido, velejador, nunca tinha se interessado por uma experiência rural. Viemos para a região de Cunha pela proximidade com Paraty e isso parecia ser conveniente. Ao encontrarmos este sítio, tivemos certeza que era exatamente o que estávamos buscando. Uma propriedade relativamente pequena, dentro de uma comunidade rural, com alguma infra estrutura, para que pudéssemos nos instalar imediatamente. Desde então, raros foram os finais de semana que ficamos em São Paulo. O barco foi ficando em segundo plano e os projetos do sítio tomando corpo. Dizem que leva uns 5 anos para que os novos proprietários passem a errar menos e acho que conosco não foi diferente. Cercas foram erguidas, modificadas, eliminadas inúmeras vezes. A idéia de manter animais contidos nos parecia um absurdo… até que nos demos conta que não conseguíamos ter uma flor sequer na propriedade e a grama que finalmente estava verdinha e deixara de ter aparência de mato roçado, foi toda chafurdada pelos porcos!

It was early 2005 and we were looking for a piece of land. My husband, a sailor, had never really been interested in having a rural experience. We came to Cunha because of its nearness to Paraty and that seemed to be convenient. When we found this property, we knew this was what we were looking for. Relatively small, next to a rural community, with some existing infrastructure, so that we could install ourselves immediately. Since then, rare were the weekends when we stayed in São Paulo. The boat became a second priority and our farming projects began taking shape. People say it takes 5 years for someone to adjust to the farming life and begin making fewer mistakes and with us it was no different.  We built fences, changed them around and eliminated them several times. The idea of keeping animals enclosured was absurd to us… until we realized that we couldn’t keep one single flower in the property and the grass that was finally nice and green and looking less shabby, was totally dug up by the pigs!

IMG_3663

Dentre as nossas inúmeras iniciativas, resolvemos comprar um casal de carneiros. Animais muito dóceis no trato, mas muito sensíveis também! Logo após o primeiro inverno, nos demos conta que precisaríamos tosquiá-los. Tentamos nós mesmos fazer o trabalho com tesouras próprias para essa função. Quatro horas depois, com muita dor nas costas, nos demos conta que o resultado tinha sido péssimo……mais pareciam caricaturas! Além disso, o que fazer com a lã? Descobrimos que na região, havia uma senhora que sabia trabalhar com a lã de carneiro. Ela fez dois baixeiros com o material que fornecemos. No ano seguinte, a história se repetiu, mas não precisávamos mais de baixeiros! Foi entao que  surgiu a idéia de montarmos uma estrutura para que as pessoas da comunidade interessadas em aprender o ofício do benefício da lã pudessem desenvolver um trabalho. Contratamos a D. Júlia, que durante duas semanas nos ensinou passo a passo o processo desde a lavagem até a tecelagem. A técnica é rústica e a intenção é que essa tradição regional não se perca! Com a ajuda da comunidade, a Oficina da Lã foi erguida. Mais uma vez, a técnica de construção local foi utilizada e uma casinha  muito charmosa de barro e bambú passou a ser um local de trabalho e de vendas. O nosso envolvimento é unicamente de orientação e mentorização. Com o passar do tempo, optamos por investir mais em ovinos. Isso garante ao projeto um lote anual de lã doada. Outras iniciativas de doação de lã ocorrem também, mas são poucas e quase sempre elas se vêem obrigadas a comprar a matéria prima.

Among our numerous initiatives, we decided to purchase a couple of sheep. Very sweet animals to have but very sensitive as well! Right after the first winter, we realized that we had to shear them. We tried doing it ourselves with shearing scissors and, after four back breaking hours, the result was horrible….  they looked more like caricatures! In addition, what do we do now with the wool? We discovered that in the area there was a lady who knew how to process sheep wool. She made us two saddle mats with the wool we had given her. The following year we did the same, but we didn’t need any more saddle mats! That is when we thought of building a structure to house a workshop for those in our community willing to learn how to process the wool. We hired Dona Julia who for two weeks taught the step by step process from washing to weaving. This was  a very rustic technique and we wanted to preserve this tradition so that it wouldn’t be lost in time. With the help of the community, the Oficina da Lã was built according to local building methods (essentially adobe) to serve as a workshop and point of sale. Our involvement was exclusively that of guidance and mentoring to the group. As time passed, we decided to expand our sheep initiative to provide more wool for the project. Other breeders have also helped donating wool to the project but for the most part they have to buy wool to complement their needs.

IMG_2494

Acreditamos que a diversificação de atividades faz da experiência rural, um desafio saudável. Fizemos várias experiências…. alguma bem sucedidas, outras nem tanto. Mel foi uma delas. Começamos com algumas caixas e precisamos trocá-las de lugar inúmeras vezes! Hoje continuamos com a produção, mas no terreno de um vizinho com quem temos uma parceria. Outra atividade é a extração de óleos essenciais. Já tentamos com lavanda, mas descobrimos mais tarde que a quantidade de flores que precisaríamos para ter algum resultado positivo era infinitamente maior do que a que utilizamos…….vamos plantar mais lavanda!!!. Tivemos mais sucesso com eucalipto e com citronela. Tentamos também extrair o óleo da casca do limão cravo, mas também acho que a quantidade utilizada não foi suficiente. Há dois anos começamos a nos inteirar do cultivo de shiitake. Estamos com 1800 toras inoculadas e a produção já começou.

We believe that the diversity of activities we have pursued have made our rural experience a healthy challenge. We have experimented a lot… sometimes successfully, other times not quite. Honey was one of these. We began with a few hives and we had to re-locate them several times! Today we continue producing honey, but with a local neighbor / partner. Another activity was the production of essential oils. We tried with lavender, but we later found out that we needed a much larger quantity of flowers than we used…. so let’s plant more lavender!!! We were more successful with eucalyptus and citronella. We also tried extracting oil from our local Rangpur limes, but again the quantity was not sufficient. Some two years ago we began studying the production of shiitake mushrooms. We now have inoculated 1,800 logs and have begun producing.

IMG_7359

Estamos tentando manter a propriedade o mais orgânica possível. Nossa horta é adubada exclusivamente com esterco e quanto ao combate às pragas, quando as técnicas tradicionais rurais não funcionam, apelamos para reza brava! Amora preta tem sido altamente fiel e podemos contar com uma boa producao anual! Numa escala maior plantamos milho, feijão, aveia preta, trigo e quinoa. Esta última, foi uma feliz surpresa, uma vez que a expectativa não era alta.

We are trying to keep the property the most organic possible. Our kitchen garden is fertilized exclusively with manure and we are trying to fight the pests using traditional rural methods (non chemical), or with heavy praying!! Blackberries have been really faithful and we can count on a steady supply every year! On a slightly bigger scale we are planting corn, beans, black oats, wheat and quinoa. This last one has been a nice surprise as our expectations were not very high initially. 

Nossa mais nova iniciativa será a produção de cerveja artesanal. Acabamos de plantar os rizomas de lúpulo, que são uma muda de raiz, de onde provem o amargor e aroma da bebida. Dentro de um ano saberemos se esse projeto poderá ser posto em prática!

Finalizando, trabalho não falta e se nossa idéia era de ter um local de lazer e descanso, ledo engano!

Our most recent initiative is to produce artisanal beer. We have recently planted a couple of varieties of hops which are used to give beer its bitterness and flavor. In one year we will know if this will go anywhere!

Finally, there is no lack of work and if our idea was to have a place to play and rest, big mistake!

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s